Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

CONTRAPONTO

O MEU PRIMEIRO BLOG E QUE RESUME ATÉ HOJE OS TEMPOS BONITOS DOS COMPANHEIROS E AMIGOS "BLOGERS"...

CONTRAPONTO

O MEU PRIMEIRO BLOG E QUE RESUME ATÉ HOJE OS TEMPOS BONITOS DOS COMPANHEIROS E AMIGOS "BLOGERS"...

13
Nov15

UM DESAFIO E PÊRAS…

jotaeme

5932da3d11d3b04a79580af1f812ec47_N.jpg

 

Esta possibilidade de um Governo á Esquerda vai ser uma grande e difícil tarefa. A composição de três forças politicas que têm visões politicas diferenciadas, vai originar uma unidade a favor apenas de Portugal e dos seus Cidadãos? Vão ter a coragem de pensar só nos portugueses e não suas ambições politicas e partidárias?

Vão lutar com as suas ideias arejadas no espaço europeu, ou não resistirão á tentação de regresso aos “saudosos” tempos do PREC?

Todos nós nos interrogamos sobre todas estas possibilidades porque ao longo destes quarenta anos de democracia nos deixamos “adormecer” pelas soluções miraculosas da Direita e do Centro, e em simultâneo, diabolizando a Esquerda como o espectro politico que nunca nos traria(trará) nada de bom. Chegamos a esta situação caricata, de nunca os novos políticos se lembrarem neste final eleitoral, do facto de que mesmo que uma determinada força politica ganhasse numericamente as eleições, poderiam não governar desde que os restantes partidos unidos em coligação reivindicassem a sua oportunidade com a promessa de que não viabilizariam os vencedores…

Então porque não trataram ao longo destes anos de salvaguardar esta saída, ou probabilidade legal? Porque no meu modesto entender, os ditos partidos do “arco da governação”, tomaram como adquirido este vaivém governativo remetendo os outros partidos mais pequenos para uma vivencia residual no Parlamento. A ser verdade este pensamento e comportamento políticos, é no mínimo ridículo e mais, tornou-se perigoso este comportamento partidário!

eleicoes 2015.png

 

Agora o que fazer?

Há que correr e enfrentar o “risco” segundo a Direita e Centro, e esperar que a Esquerda mostre o que vale! Mesmo que possamos sofrer alguns reveses! A Democracia é assim!

Agora a faceta “arruaceira” do PSD/CDS é que me surpreende no modo como vão classificando o adversário, Paulo Portas e a sua “geringonça”, o “aquilo” da ministra da Finanças e ainda a vontade súbita de Passos Coelho, em revindicar á pressa uma Revisão Constitucional, para alterar a lei que o impediu de governar agora!

Com estas atitudes estão a esbanjar todo um capital politico que tinham adquirido e uma credibilidade da qual  podemos começar a duvidar! Estranhamente revelam um mau perder e nervoso miudinho no futuro imediato de Portugal.

O que eu penso é que devemos aceitar este ciclo politico e deixar a Democracia funcionar. E de uma vez por todas pensar no interesse nacional no seu todo, nos portugueses como cidadãos e não tendo como razão principal as cores partidárias, “preferidas”.

Desafios que a nova classe politica deve aproveitar para capitalizar com a renovação de projetos e ideias!

Não percam mais tempo (Cavaco incluído), e vamos lá enfrentar este mundo …ocidental!

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2004
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D