Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

CONTRAPONTO

O MEU PRIMEIRO BLOG E QUE RESUME ATÉ HOJE OS TEMPOS BONITOS DOS COMPANHEIROS E AMIGOS "BLOGERS"...

CONTRAPONTO

O MEU PRIMEIRO BLOG E QUE RESUME ATÉ HOJE OS TEMPOS BONITOS DOS COMPANHEIROS E AMIGOS "BLOGERS"...

24
Mai06

OS POBRES REFORMADOS QUE PAGUEM O DÉFICE!!!

jotaeme
Os pobres que paguem, ou os clarões do snr. Emanuel dos Santos!


HÁ DIAS ESTE SNR.SECRETÁRIO DE ESTADO FOI DIZENDO QUE UMA DAS POSSIBILIDADES DE POUPANÇA PARA COMBATE AO DÉFICE SERIA A RETIRADA DO 14º MÊS QUE ACTUALMENTE OS REFORMADOS RECEBEM! BRILHANTE! MAQUIAVEL NÃO SE LEMBRARIA DE MEDIDA MAIS ACERTADA! ELE NEGOU Á COMINICAÇÃO SOCIAL QUE O GOVERNO FOSSE ACTIVAR ESSA MEDIDA! MAS QUE ELE FALOU, FALOU!
Eu sei que é pedir muito, mas até na política deveria haver limites para a indignidade. O secretário de Estado do Orçamento, Emanuel dos Santos, admite tirar o subsídio de férias aos reformados para equilibrar o Orçamento de Estado. A notícia, divulgada pelo "Expresso" e pela Lusa, filia-se no modelo que, 30 anos depois do 25 de Abril, muitos, no governo e fora dele, acham que deve seguir-se para pôr em ordem as finanças públicas os pobres que paguem a crise. Os pobres são mais e têm menos influência que os ricos. E, sendo velhos, pouco poder reivindicativo possuem. Equilibrar o Orçamento à custa dos mais vulneráveis, os reformados, é, pois, principalmente, um acto de cobardia política. O secretário de Estado não admite cortar o subsídio de férias aos gestores públicos com vencimentos milionários nem aos "boys" e "girls" sentados à mesa do "seu" Orçamento,mas aos reformados, gente que, ao fim de muitos anos de trabalho a descontar o que o Estado lhe exigiu, contariam agora que, por sua vez, o Estado cumprisse as obrigações consigo assumidas. Diz-se que o Estado não é, às vezes, uma pessoa de bem.
 Não, o Estado é uma pessoa de bem, alguns dos que falam e decidem em seu nome é que não são pessoas de bem.
QUER DIZER: COMO QUEM NÃO QUER A COISA, VAI-SE ATIRANDO O BARRO Á PAREDE A VER SE PEGA!
AI ESTE NOSSO PORTUGAL E ALGUNS POLÍTICOS QUE NELE VIVEM!!!!

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2005
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2004
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D