Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Começo pela temática do encerramento das Escolas Primarias com níveis de vinte e um alunos ou menos que segundo o ME, devem encerrar e transferir os alunos para outras Escolas nas proximidades, algumas com dez ou mais quilómetros, tudo justificado com um melhor aproveitamento escolar.

Se nos grandes centros urbanos uma rentabilização seria aceitável, nas áreas rurais mais afastadas, ou seja nas nossa aldeias e povoações, a Escola Primária é o símbolo nacional na primeira perceção da aprendizagem do saber ler, contar falar! É uma sobrecarga enorme sobre as famílias que ainda conseguem (sobre) viver no interior e que vê assim alterada de forma violenta as rotinas diárias das crianças na saída e volta para a Escola.

Mesmo com transportes das autarquias ou de ME o tempo de afastamento na relação Família /Escola fica mais desequilibrado e causa prejuízos evidentes no dia-a-dia desses locais que tem a desdita de ficar mais ou menos afastados dos centros urbanos.

Já está comprovado de que as poupanças em termos económicos são irrisórias para o Estado, por isso não se entende que uma Escola que tem todas as condições atualizadas para os novos desafios educativos, seja simplesmente encerrada!

Toda esta política educacional, vai influenciar outra vertente relacionada com a tão propalada baixa de Natalidade que em Portugal é a segunda mais baixa da Europa! E que com estas políticas irá ainda piorar mais, não tenhamos dúvidas! E é assustador para Portugal se este sistema social não mudar. Como garantir a renovação das gerações com estas restrições às Famílias?

Tal como na Saúde que é fundamental para os Cidadãos, como se justifica o constante encerramento das USF, sempre em nome de uma poupança que se vem a verificar quase inexpressiva?

Se estas duas áreas continuarem a ser extintas de forma quase cega, pois não duvidem que a Taxa de Natalidade irá decrescer ainda mais e seremos um Pais de população com uma faixa etária muito elevada e com uma dinâmica de vida a regredir,disso não tenhamos dúvidas! Pensem bem nisto senhores governantes!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:00



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D