Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Neste fim-de-semana, após uma cobertura mediática excessiva, eu diria, nauseante, do congresso do PSD, dá-me mesmo vontade de ser malcriado nas minhas palavras! Imitar os comentários “sugestivos”, que aparecem nas redes sociais e dizer de viva voz o que vai na alma de grande parte dos portugueses, (e na minha)!

 

 

Como é possível passarem a imagem de vitória, da inexorabilidade deste rumo incrível, da subserviência aos poderes económico europeus e das américas (leia-se FMI), como se não houvesse outros caminhos! Ouvir aquelas palavras de triunfalismo, algumas com ar de gozo, nos seus oradores, outros assegurarem com este show off, os seus tachos e mordomias partidárias, já a pensar nos próximos atos eleitorais de 2014 e 2015, reabilitando um Relvas execrável e cómico no seu anterior percurso politico no Governo de PC.

Esquecem ou fazem de conta, sobre a vida difícil de milhares e milhares de famílias portuguesas a pagarem com língua de palmo as asneiras e crimes económicos, feitos por gente sem escrúpulos, muitos deles da área dos partidos, PSD e os outros! Então está tudo bem só porque coletamos á força, (para não dizer uma outra palavra mais forte), os Cidadãos que não tinham culpa nenhuma destes desmandos que se cometeram?

A Politica sempre me causou alguma repulsa, precisamente por salvaguardando algumas honrosas exceções, precisamente por esta demagogia das palavras fáceis colhendo os louros para si mesmo e acusando sempre os outros ou a dita Oposição por todos os erros e omissões. Este pensamento vale para a alternância de qual seja o partido na governação, o comportamento é igual! Todos eles defendem as suas mordomias e mandam às malvas os desgraçados dos eleitores. É só perguntar e verificar por onde andam e o a que (não) fazem os barões da política nacional, mesmo depois da saída (forçada, para muitos dinossauros), dos seus cargos políticos e governativos!

Na Europa de Leste, olhamos para a Ucrânia e criticamos a violência das manifestações, olhamos para a Venezuela e criticamos a violência das manifestações, olhamos para o Brasil e sentimos uma amargura e ansiedade pelo modo como estas manifestações  lá  se desenrolam… Façamos votos para que outros povos não olhem e critiquem Portugal nas manifestações que poderão acontecer nestes tempos, em termos de violência e intolerância…

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:16



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D