Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Com a devida vénia passo a transcrever uma crónica do jornalista Jorge Maia e que retrata com grande oportunidade mais uma figurinha que quer aparecer nos meandros do futebol como mais um salvador da pureza e da castidade, após um estágio na Assembleia da República e que começa a tornar-se notado com os sintomas aqui descritos de parvoíce aguda!

Ora lá vai:

Parvos

JORGE MAIA


Li ontem as declarações de um dirigente desportivo preocupado com o facto de os jogos do FC Porto não serem apitados por árbitros internacionais, ao contrário do que acontece com os jogos do Benfica e do Sporting. Deduzi, como é evidente, que se tratava de um dirigente do FC Porto, mas não. Era Sílvio Cervan quem assim protestava contra o facto de o líder isolado do campeonato - e principal candidato à sua própria sucessão como campeão nacional - ver os seus jogos recorrentemente apitados por árbitros que não são internacionais e, por isso mesmo, são menos categorizados e menos capazes de lidar com a pressão de quem lhes lembra todos os dias que são suspeitos à partida quando apitam jogos do FC Porto. Curiosamente, o mesmo dirigente benfiquista, que ontem garantiu aos sete ventos não ser parvo e ter toda a vontade de respeitar as regras do bom senso, não se insurgiu contra o facto de o último clássico da Luz ter sido apitado por Pedro Proença, um árbitro de Lisboa, benfiquista desde pequenino. Sílvio Cervan, perspicaz como é, não viu na filiação clubística de Pedro Proença, nem na sua proximidade em relação a um dos dois adversários em confronto, qualquer ofensa às regras do bom senso, o que só prova que, de facto, não é parvo nenhum. Curiosamente, nas últimas duas jornadas do campeonato, o Benfica conseguiu arrancar dois empates na sequência de dois lances em que foi beneficiado pelos árbitros. Um golo em fora-de-jogo contra o FC Porto e uma grande penalidade inventada por Simão Sabrosa contra o Beira-Mar. Mas, pelos vistos, já não chega aos responsáveis encarnados serem beneficiados nos jogos em que o Benfica participa. É natural. Não tem chegado para ganhar. O objectivo, agora, é pressionar os árbitros dos outros. Claramente, Sílvio Cervan não é parvo nenhum, mas não se importa nada de o parecer. "

Eu remataria com o seguinte:Não basta apenas ter o dom da palavra! è preciso também sermos homens de palavra! E nunca esquecer que do outro lado da trincheira estão outros(as)pessoas que ás vezes possam parecer parvas, mas nunca serão traidoras das suas terras e gentes! Para bom entendedor...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:10



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D