Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



massacre paris 1.png

 

É uma tragédia que só após eventos como o deste fim de semana em Paris nos façam de novo despertar para uma problemática que afeta o mundo na sua globalidade.

Porque nos tocou de perto “acordamos” de novo para esta realidade cruel. Enquanto que se assiste á destruição de países como a Síria, Iraque, a nossa consciência tem permanecido quase indiferente perante o inenarrável sofrimento dos cidadãos sírios e iraquianos entre outros. As imagens muito semelhantes e algumas delas muito mais violentas, das que acabamos de assistir em Paris, com destruição de pessoas e bens materiais parece não ter produzido uma reação internacional eficaz e rápida ao longo destes meses angustiantes no “Pós- Primavera Árabe”! Agora nesta vaga brutal de migrantes que têm ainda uma ultima e final decisão de abandonar as suas terras, as suas famílias os seus laços de cidadania, porque a alternativa seria a Morte sem qualquer dúvida imposta por monstros que se dizem humanos e por uma dominação física e espiritual sem limites, destruindo todos os sinais que na sua imbecibilidade terrorista apregoam ser contrária à sua civilização e pior, invocando “deuses vingativos” como se ainda vivêssemos nos medos e obscurantismos da Idade Média! Ao sermos agora de novo tocados no nosso “território”, ficamos indignados e vociferamos raios e coriscos!

Mas o que é imperdoável é neste caso Sírio/Iraquiano é a passividade e o desleixo, do deixa andar das nações mais fortes em termos diplomáticos e forças de execução e controle (leia-se exércitos e poder militar) que ficam sempre pelas meias medidas e quase sempre em função de interesses económicos! Países do Golfo Pérsico, ditos amigos dos EUA que fazem jogo duplo com gentes e ideais de humilhação desde que professem religiões diferentes, algumas baseadas em regras medievais, dando como exemplo os Direitos de Igualdade das Mulheres no seu exercício de Cidadania! Arabia Saudita, como exemplo(mau) deste “way of life” é apenas o mais relevante!

siria 1.png

 

O famigerado bando de malfeitores, de seu nome ISIS, tem de ser eliminado, já o deveria ter sido! E todos aqueles que aproveitam os despojos desta guerra insana também devem ser punidos! Expliquem-me como é possível haver mercenários que compram e usam os produtos roubados destes dois países? O petróleo iraquiano e os monumentos em pedaços da Síria que estão a ser adquiridos por mentes perversas que só se importam com o dinheiro que estes despojos lhes rendem? Haverá coragem e decisão para combater e derrotar de uma vez, estes poderes ocultos e muitas vezes conectados com personagens fora do retrato árabe?

Quanto aos infelizes cidadãos, eles que se mexam, que fujam, que morram, terá que ser este terrível destino? Esta tragedia humana, parece passar ao lado destes monstros e criminosos civilizacionais!

Têm a palavra os mais poderosos para passarem da teoria á prática!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:09


UM DESAFIO E PÊRAS…

por jotaeme, em 13.11.15

5932da3d11d3b04a79580af1f812ec47_N.jpg

 

Esta possibilidade de um Governo á Esquerda vai ser uma grande e difícil tarefa. A composição de três forças politicas que têm visões politicas diferenciadas, vai originar uma unidade a favor apenas de Portugal e dos seus Cidadãos? Vão ter a coragem de pensar só nos portugueses e não suas ambições politicas e partidárias?

Vão lutar com as suas ideias arejadas no espaço europeu, ou não resistirão á tentação de regresso aos “saudosos” tempos do PREC?

Todos nós nos interrogamos sobre todas estas possibilidades porque ao longo destes quarenta anos de democracia nos deixamos “adormecer” pelas soluções miraculosas da Direita e do Centro, e em simultâneo, diabolizando a Esquerda como o espectro politico que nunca nos traria(trará) nada de bom. Chegamos a esta situação caricata, de nunca os novos políticos se lembrarem neste final eleitoral, do facto de que mesmo que uma determinada força politica ganhasse numericamente as eleições, poderiam não governar desde que os restantes partidos unidos em coligação reivindicassem a sua oportunidade com a promessa de que não viabilizariam os vencedores…

Então porque não trataram ao longo destes anos de salvaguardar esta saída, ou probabilidade legal? Porque no meu modesto entender, os ditos partidos do “arco da governação”, tomaram como adquirido este vaivém governativo remetendo os outros partidos mais pequenos para uma vivencia residual no Parlamento. A ser verdade este pensamento e comportamento políticos, é no mínimo ridículo e mais, tornou-se perigoso este comportamento partidário!

eleicoes 2015.png

 

Agora o que fazer?

Há que correr e enfrentar o “risco” segundo a Direita e Centro, e esperar que a Esquerda mostre o que vale! Mesmo que possamos sofrer alguns reveses! A Democracia é assim!

Agora a faceta “arruaceira” do PSD/CDS é que me surpreende no modo como vão classificando o adversário, Paulo Portas e a sua “geringonça”, o “aquilo” da ministra da Finanças e ainda a vontade súbita de Passos Coelho, em revindicar á pressa uma Revisão Constitucional, para alterar a lei que o impediu de governar agora!

Com estas atitudes estão a esbanjar todo um capital politico que tinham adquirido e uma credibilidade da qual  podemos começar a duvidar! Estranhamente revelam um mau perder e nervoso miudinho no futuro imediato de Portugal.

O que eu penso é que devemos aceitar este ciclo politico e deixar a Democracia funcionar. E de uma vez por todas pensar no interesse nacional no seu todo, nos portugueses como cidadãos e não tendo como razão principal as cores partidárias, “preferidas”.

Desafios que a nova classe politica deve aproveitar para capitalizar com a renovação de projetos e ideias!

Não percam mais tempo (Cavaco incluído), e vamos lá enfrentar este mundo …ocidental!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:23


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D