Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



escola 1.png

 

Hoje no Jornal O Público, num artigo de opinião de José Luís Carneiro, Presidente da Federação Distrital do Porto do Partido Socialista, sobre o Tema Escolas e Mobilidade, aponta uma das falhas que eu subscrevo, às inacabadas obras de (re) construção de várias Escolas, entre elas as de Amarante, Marco de Canavezes, Trofa e Matosinhos, que no artigo foram citadas, era na verdade de grande importância o planeamento e conclusão destas empreitadas, se necessário com recurso a verbas da E.U., porque a sua nobre finalidade é por demais evidente.

Já o mesmo sentimento não tenho pelo anterior PM, que não soube controlar os custos desta notável ação, e que deixou resvalar para o velho paradigma português, dos custos a mais, em valores escandalosos e com as desculpas mais esfarrapadas dos empreiteiros, habituados que estavam com estes desenlaces nas obras estatais!

Moro em Matosinhos e só para falar no exemplo da Escola Augusto Gomes, que foi construída de raiz e que tem o tal elefante branco, ou seja o seu Pavilhão para as atividades desportivas semiacabado e já lá vão uns três anos, alegadamente por falência do empreiteiro a quem foi adjudicada a obra, este é um crime de lesa Estado com esta paragem, assim como todas as outras obras, e que com um pouco de esforço e responsabilização seria possível a conclusão destes projetos, que no inicio tinham um objetivo nobre e essencial para a nossa área da Educação e que infelizmente, foi adulterado por mentes mentecaptas que só pensam no ganho fácil e sobre o qual a Justiça vai “premiando” como pode estes oportunistas…

ng1589699.jpg

 

Por todas estas razões seria de muito bom-tom que o Governo atual desse pistas muito concretas como tenciona concluir este conjunto de edificações, mesmo sabendo que na sua génese os atuais governantes não tiveram a sua palavra decisiva! Mas a sua demora em resolver de vez o que outros mal começaram, não lhes vai trazer dividendos políticos, disso tenho eu a certeza, que era para o lado que eu dormiria melhor, como Cidadão, mas para os nossos alunos por este País fora seria um sinal inequívoco de que os bons Políticos têm essa capacidade de criticar o que está mal, mas relevar e premiar o que está bem!

E as cores politicas têm de ser sensatas e inteligentes para assim procederem, e esta seria uma das oportunidades para a sua regeneração de uma atividade nobre e que nos dias de hoje são muito contestadas…

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:58


EU GOSTO É DO VERÃO…

por jotaeme, em 01.07.15

imagesCAQCM1X6.jpg

 

O Verão aí está a bater-nos á porta e quase que se repetem as cenas habituais, ou seja, os incêndios florestais no interior do nosso (ainda) Portugal, nas matas e silvados mal-amanhados pelos seus pretensos donos, numa continuada ausência física ilibando responsabilidades efetivas e morais de quem deixa o seus património ao abandono, e neste conjunto os incendiários compulsivos dão largas às suas pulsões livres e impunes que continuam com a nossa pusilânime Justiça, (são malucos coitados, gostam de atear fogos…), e mesmo que seja por obra e garça da Mãe Natureza a sequencia habitual, são os soldados da paz lá deslocarem com muitos meios e combatendo com denodo, apagam aqui e ali e vão a correr ainda para outros sítios. Nos rescaldos finais lá vem a rebatida temática da impunidade doa imprevistos e as culpas vão morrendo solteiras…

São estes os filmes que iremos ver nesta altura do ano já que o nosso mundo do futebol está ainda em férias, apenas os nossos sub21 tiveram um comportamento meritório no campeonato da Europa, e deste modo a nossa imprensa anda num corrupio a tentar arranjar novas, (boas ou más), num excesso noticioso que a mim não me cativa pela repetição excessiva! Grécia, Sócrates, Políticos, Eleições, Corrupção, são temas recorrentes que se exploram até ao tutano para que as nossas mentes não entrem também em férias! Pois quem as tem chama-lhes suas! E cada vez mais difíceis de concretizar, para todos nós que as projetamos há anos e sempre adiadas!

Então o que nos resta? Pois claro, temos de ser inventivos e como lugares não faltam há que dar asas á imaginação e elaborar um plano mais comedido em termos financeiros e visitar lugares que neste nosso Portugal, que no meio desta penúria económica, continua a ter pontos possíveis e bons para o nosso desfrute!

Então vivam as férias!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:33


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D