Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O TRIUNFO DOS “LOOSERS”!

por jotaeme, em 23.03.14

Poucas vezes estou de acordo com o que o jornalista VPV, escreve no jornal O Público. Mas na edição de hoje, vinte e três de março, partilho inteiramente do seu pensamento e no qual o jornalista realça um “evento” que passou há dias em que quatro ex-ministros das Finanças,(Vitor Gaspar, Teixeira dos Santos, Manuela Ferreira Leite, Bagão Félix), debitaram os seus palpites sobre como se resolver toda a problemática na nossa “crise”.

Na verdade só com muito esforço e Compensam, se podem ouvir estas personalidades a perorar sobre como e quando estavam á frente dos pelouros das Finanças, fizeram o que fizeram levando pueril e calmamente o nosso país a atingir o défice brutal que não resistiu aos ventos adversos que culminaram na crise financeira iniciada em 2009, gastaram o que não tinham e mandaram às malvas a palavra mágica “POUPANÇA”, sempre em favor dos seus interesses político-partidários…

Nenhum deles que eu saiba, se diz responsável por deficiente governação a culpa foi sempre dos outros e da “conjuntura internacional”! Responsabilizar criminalmente os políticos por má gestão da causa pública, não faz parte destes cérebros iluminados, antes pelo contrário, fazem sempre referência ao sacrifício pessoal a outras ocupações que teriam noutros espaços das suas vidas!

Eu só pergunto então, o que os faz mover no exercício dos cargos públicos? O bem comum, os ideais da Solidariedade, Fraternidade, Igualdade que foram enviados pela França no seu despertar sob o jugo das monarquias fraudulentas e opressoras? Tenho dúvidas!

Ao estar desta vez de acordo com VPV, fico ainda mais atento ao que me rodeia, ao que vejo e sinto e que me vai deixando mais apreensivo e preocupado, para evitar falsas euforias da nossa retoma! E viver o nosso dia-a-dia das nossas (in) certezas!

Ah a nobre arte da Politica, quão difícil és!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:21


A MORALIDADE DOS AGENTES DESPORTIVOS…

por jotaeme, em 20.03.14

sÉ impressionante o modo como se movimentam os agentes desportivos no Futebol Nacional! Os interesses financeiros para além dos desportivos, fazem com que os seus elementos dirigentes se batam como loucos por vitórias, protagonismo, nem que seja com irregularidades apontadas sempre aos outros e relevadas para si mesmo, quando aconteça o contrário…

Como é possível que persistam colossais défices na gestão dos clubes da dita Liga Profissional e tudo fique impassível e sereno com este andar do Desporto do Pontapé na Bola? Os três grandes degladiam-se constantemente criando nas suas massas adeptas sentimentos de revolta e violência contra os adversários?

Dou como exemplo atual desta troca de mimos entre os três líderes dos ditos três grandes do nosso futebol. Bruno de Carvalho auto apelidando-se de moralizador e único detentor da verdade desportiva, fala pelos “quatro” cotovelos revindicando faltas e erros dos árbitros para justificar os insucessos desportivos dos últimos anos dos leões fazendo lembrar as conversas em família do Marcelo Caetano do tempo da “outra senhora”, todas as semanas em conferencias de imprensa, onde “dispara” contra tudo e contra todos! Ele é o único detentor da verdade e os outros rivais com especial pontaria para os outros dois rivais diretos, estes em seu entender, são uns trapaceiros! Claro que ele não fica sem resposta e não se fazendo rogados os visados respondem em volta com ironia e ameaças de processos judicias! Se este comportamento de crianças mimadas contribui para um bom ambiente no futebol nacional, digam-me por favor onde, porque eu não o consigo ver ou divisar! Tenham juízo senhores do futebol, porque assim continuando a procederem, cada vez mais de se vão ver os estádios vazios de público e adeptos a ficarem mais aborrecidos com este ambiente foleiros que nesses espaços se respira!

Num jogo de futebol, veem-se pessoas conduzidas aos estádios como se de gado se tratasse! Será que morre alguém, se um jogo se perder em favor do adversário? Será que é assim tão fundamental para as nossas vidas diárias? E o nosso Pão, a nossa Família, o nosso Emprego, não importam?

Jogadores profissionais pagos a peso de ouro pelos grandes clubes, com grandes défices e os outros clubes mais modestos a não pagarem o que contrataram, mas que que participam no mesmo nível competitivo? Como explicar a moralidade dos dirigentes desportivos que quando são prejudicados, falam aos quatro ventos e quando são beneficiados se calam que nem ratos?

Ainda outra faceta impressionante neste nosso Portugal desportivo: Como é possível existirem tantos e tantos comentadores e opinadores de futebol nos média e que aderem a estes espetáculos só em favor das audiências? Como é que se sustentam estes avençados a debitarem muitas vezes disparates e em cenas tão caricatas com falta de civismo, com se de meninos mal comportados se tratassem?

Será que há interesses que levam a os cidadãos a serem pressionados e induzidos a viverem estas incidências e a esquecerem o mais importante nas suas lutas pela verdadeira Cidadania em modos mais abrangentes e completos?

Quere-me parecer que sim!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:01

Este nosso País não para de nos surpreender com estes constantes temas que relacionados com a rigorosa aplicação da Justiça, nos (me) faz envergonhar de ser cidadãos lusitanos!

 

Como é possível deixarem chegar a este ponto, que eu diria de gozo, arrogância e hipocrisia, nestes três exemplos do submundo da Banca e alta finança portuguesa, costas, rendeiros e jardins!

 

O desplante com que solicitam a prescrição dos seus crimes, ofende-me (nos),dececiona-me (nos),porque nestes tempos tenho “contribuído” á força para pagar estes monumentais roubos e não tenho hipóteses de o evitar!

Estes nossos Políticos da nossa jovem Democracia de quarenta anos, devem andar distraídos, acomodaram-se às mordomias, deixaram de exercer as suas funções em prol do Povo e apenas salvam os seus interesses partidários! Dizem uma coisa e fazem outras! Pregam a moral mas não a praticam!

E neste fundamental setor da Justiça que é dos mais importantes a ministra faz os que outros que a antecederam fizeram, ou seja, promete, promete e depois veem-se os resultados! Não consegue limpar todos os interesses instalados nas corporações da área da Justiça. Para rematar quase que prevejo uns pedidos de indeminização ao Estado Português por parte destes três artistas das “fananças” da Banca! Não será nada irrealista que tal venha a suceder! Logo veremos! E o ar de gozo com que os advogados apelidados de “mediáticos”, que a troco de boas remunerações, trabalham diligentemente parar alcandorar ao pedestal de Santos Impolutos os eus clientes, dá que pensar!

E que cá vamos cantando e rindo (amargamente), neste retângulo á beira mar plantado! Dá vontade de vomitar, por vezes!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:32


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D