Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O DIA 29 DE OUTUBRO, 1963…

por jotaeme, em 30.10.13

Fez ontem cinquenta anos, em que esta data se me revelou de uma forma insólita e dolorosa! Ao início da tarde desse dia um colega meu vem ao meu encontro, perto de minha casa e diz-me de chofre as seguintes palavras: “Jorge o teu Pai morreu", entre o tom afirmativo e interrogativo.

Eu tive a imediata perceção  de que algo não estava bem e disparei rumo a casa, onde pude confirmar a terrível noticia.

                       

Uma perda que ainda hoje lamento, porque para mim, o meu Pai era o meu herói e porque perdeu a sua batalha pela Vida e Família aos 43 anos de idade de modo inglório. Mais tarde aquando da minha passagem pela Guerra Colonial em Angola, não pude contar-lhe em contraponto o que foi a minha experiencia, visto que ele também tinha lá permanecido nos anos de 1942/43 em plena da 2ª Grande Guerra, no serviço militar em defesa da soberania da então colónia portuguesa.

 

Ontem por infeliz coincidência um pequeno animal de estimação, “resolveu”, abalar deste mundo, (um Hamster de seu nome Mickey) que fazia as delícias da minha neta Catarina e mãe Andreia, com as suas brincadeiras. Eu alimentava-o muitas vezes e criei também uma ligação afetiva muito forte, pelo que senti a sua partida, mesmo sendo um pequeno ser do reino animal que muitos humanos desvalorizam, e se calhar tão cedo não o substituirei por um outro Hamster “novo”!

 Estas minhas palavras têm apenas a intenção de realçar que os nossos afetos têm um leque muito alargado, a todos os outros seres vivos e aos já desaparecidos, que nos ajudam com os seus sinais e respostas, a fazerem de nós, pessoas melhores, melhores cidadãos!

E como precisamos cada vez mais de afetos nestes dias complexos que se vivem…

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:22

A voz do povo diz na sua sabedoria: “A vingança serve-se fria”, e é o que se está a desenrolar na cena política portuguesa por estes dias. Desta vez a personagem tem sido o ex-primeiro ministro José Sócrates que de um modo melífluo e insidioso se vem mostrando com aquele sorriso que prenuncia dias com muito desassossego para os seus adversários políticos.

Para quem há mais ou menos dois anos atrás dizia ir dedicar-se a outras atividades mais centradas no cidadão José, estas movimentações e arreganhos políticos veem comprovar a imprevisibilidade destas personagens.

Sob a sua (des) governação tanto despautério deixou ele que acontecesse, para agora tentar lavar a sua imagem e reaparecer como mais um salvador da pátria…

Vem de novo á colação a responsabilização criminal dos políticos que com a sua atuação e desempenho, provoquem graves prejuízos sociais e financeiros ao nosso país.

Enquanto esta responsabilização se ficar pela imagem politica apenas, estamos conversados! Estes heróis saem com o rabo entre as pernas, deixam o tempo amainar e amansar a fera e depois mexendo os cordelinhos dos aparelhos partidários reaparecem em forma e de modo mais ou menos descarado, afiam as facas para as suas “vendettas”,…

José Sócrates parece tentar esse proceder…a ver vamos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:06

Hoje é o 216º aniversário do primeiro lançamento de um paraquedista,(eu não o sabia), que  a Google dá á estampa com uma animação muito engraçada e que vi e revi  um bom par de vezes... e na qual podemos ver uma sequencia do que teria sido o pioneiro na arte de bem saltar em pára-quedas, sem dar com o "cabedal", com demasiada força no terreno.

Por ser hoje em dia, além da sua utilização para meios bélicos,  um modo de lazer para uma multidão de praticantes em todo o  mundo, que desafiando as leis da gravidade, sempre com  a possibilidade de de algo imprevisto acontecer...é a aventura e desafio das probabilidades, o praticam com gosto!

Aliás é uma experiência que eu gostaria de tentar um dia!

Então aqui ficam alguns excertos em imagens dessa animação da Google, hoje.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:36


FALANDO, (MAIS UMA VEZ), DE EDUCAÇÃO.

por jotaeme, em 15.10.13

Para mim a vertente Educação é um dos pilares da Democracia, que tenho por fundamental. Não me canso de ler, ouvir, trocar ideias com tudo e todos sobre esta temática!

Porque convencidíssimo que a alma desta nação portuguesa, sem esta valência, ficará sempre atrasada, na corrida do presente e futuro mais próspero. Mais inteligente, mais igualitário no conceito das nações desenvolvidas e regidas por ditames democráticos, só com um bom ensino nas nossas Escolas e Universidades!

Depois destes considerandos iniciais, as minhas palavras centram-se hoje, em duas vertentes: O ambiente na Escola e o Ensino Recorrente noturno.

1-As Escolas no nosso tempo de hoje têm de possuir “ferramentas” ao nível da s suas estruturas internas que assegurem um bom desempenho a todos os atores, ou seja, professores, alunos, funcionários administrativos e auxiliares, ainda as próprias instalações dos edifícios, preparadas e renovadas em constância, em especial nas novas técnicas áudio visuais de que o Ensino faz já por essencial e normal ter.

Se estas condições se verificarem o controlo comportamental dos Alunos, será mais equilibrado e obterá melhores resultados, disso não tenho dúvidas. Evitará ainda situações constrangedoras e de falta de segurança e disciplina entre toda a tribo dos alunos.

2-O Ensino Noturno (designado agora de Recorrente), foi em tempos idos a joia da coroa do Ministério da Educação, mesmo ainda no tempo do Estado Novo! Permitia a todos aqueles (as) que trabalhando de dia, podiam com um esforço suplementar cumprir os seus projetos e sonhos de terem em termos educativos, o nível que ansiavam, fosse no Secundário ou depois no Ensino Superior. Mas toda esta aquisição de conhecimentos feita com Verdade e Igualdade em termos curriculares e Disciplinas iguais às do ensino Diurno! Com práticas curriculares que culminavam nos Exames Nacionais junto com os “putos” de dia, para a conclusão e ou continuação de outros níveis de Ensino.

Neste ano da graça de 2013, de que é que está á espera o snr ministro Nuno Crato para restabelecer estas vertentes educativas nas nossas escolas? Já nem lembro as outras variáveis noturnas, (EFA´s e CNO´s)!

Pense nisto snr ministro Nuno Crato! Se colocar em prática esta minhas revindicações, verá que os frutos serão muitos e bons, categóricos, sem aquela suspeição que muito boa gente gosta de mal dizer sobre este tipo de ensino Pós-Laboral. Porque a sua autenticidade está assim assegurada.

Cada coisa a seu tempo, mas não esqueça deste meu lembrete!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:39


O PULSAR DA NAÇÃO…

por jotaeme, em 07.10.13

Mesmo que o tentemos, não se consegue passar impávido e sereno pelo ambiente quotidiano que se vive e respira no nosso (ainda) Portugal.

Sente-se a constância dos nossos compromissos financeiros com o exterior, (leia-se Troica e FMI), a atazanar-nos a vida.

Queremos usufruir as coisas mais simples e básicas, fazemo-lo e logo nos são “recordados” os nossos deveres, (leia-se débitos), que nos impõem um limite redutor e insustentável no nosso bem-estar, como cidadãos que não cometeram qualquer crime que tenha prejudicado o seu semelhante.

Para nos abstrairmos dessa pressão teríamos de “Ir para a Ilha”, como no seu show da TV, o ator Carlos Areias, afirmava  de modo engraçado, perante as más noticias que os outros lhe davam sobre o seu País. Mas como não temos uma ilha sempre á mão o terreno firme neste canto da Europa é o que nos resta.

Ou então em alternativa, poderíamos desligar de tudo o que fosse do sistema comunicacional, (Tvs, Rádios, Internet) que por incrível que pareça, nos poderia causar ainda mais prejuízo e não satisfazeria as nossas necessidades.

Então o que poderemos fazer?

É estar atento, de peito feito às balas e dar graças a Deus por estarmos vivos! Carpe Diem, como dizia Fernando Pessoa e os seus heterónimos, que  o faziam, para (sobre) viver nos tempos difíceis e desafiantes, que tal como lá naqueles tempos, agora perpassam de novo por nós, difíceis e desesperantes! É este o pulsar da Nação portuguesa num nível político e social tão medíocre, que impressiona o mais distraído.

Eu continuo a acreditar em melhores dias. Esta vivência é como o ciclo económico: já bateu no fundo e agora só pode subir. O problema é que descemos ao abismo em poucos dias e agora para regressar ao nível satisfatório está a demorar uma eternidade…

Deus agradeço-Te por estar vivo, assim como os meus familiares e amigos e disposto a resistir, sempre…

Como dizem os nossos futebolistas do nosso campeonato, quando perdem um jogo, numa frase que eu acho muita graça, afirmam: “temos de levantar a cabeça”. É o que farei, prometo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:39


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D