Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




OS “COMENTADORES”…DE TV.

por jotaeme, em 25.03.13

 

É uma tristeza esta vertente da nossa vida social e política em Portugal. Tentam que fiquemos dependentes das suas “doutas” opiniões, palavras, para que só assim possamos fazer juízos de valor sobre quem nos (des) governa!

‘E uma tristeza, (volto a dizer), que neste País aqueles “crânios” tenham o poder do raciocínio e análise! Para que depois durante a semana, andemos a comentar os comentários destas mesmas figuras

Com a exceção de M.R.S. neste trio de fazedores de opinião,L.M.M. e agora o nosso filósofo de estimação J.S., rejuvenescido do seu exílio dourado da cidade Luz, retemperado nas ideias a milhares de quilómetros de distância da sua terra natal e a leste das angústias diárias dos Tugas para enfrentarem o seu dia a dia, aí esta ele (o filósofo) pronto a debitar a sua verve, com a exceção de M.R.S., dizia eu, estes dois políticos da treta, em termos de trabalho qual é o seu contributo?

Alojados no poder politico, nos seus partidos, nas teias que a Politica tece, nunca assumiram uma figura de cidadania ativa, profissional independente, em empresas privadas, não têm prática e saber do que custa granjear o seu sustento, criando uma efetiva riqueza com a sua atividade profissional.

Apenas (sobre) vivem na mama dos Partidos Políticos, no sector público do Estado, alojamento este sem limites destas famílias político-partidárias e que nos custam montantes que eu diria escandalosos e que provocam no Estado dito Social um peso tremendo no O.E….

Assim com este ramalhete, entre muitos outros, menos visíveis, os Cidadãos são dispensados de pensar, de agir, só o fazendo em manifestações inconsequentes e centradas apenas no número de pessoas que se consigam juntar, para depois os média os poderem fixar em exaustivos telejornais e reportagens. Sempre em favor das audiências…

Uma tristeza, digo eu!

PS: Num regime democrático todos têm o direito de emitir as suas opiniões, mesmo os acima citados. O problema é que a responsabilização política ainda não se faz com o rigor que deveria ser feita! Por isso é que digo que em certas ocasiões essa mesma liberdade de expressão pode ser usada de modo demagógico e o perigo está neste pormenor, para a própria Democracia!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:26


DESLIGADOS DA REALIDADE… PORTUGUESA!

por jotaeme, em 10.03.13

 

Muito se tem falado, nos últimos tempos, sobre declarações dos mais variados quadrantes sociopolíticos, de personalidades que demonstram alguma falta de sensibilidade e perceção do que é ser e viver português nestes tempos…

Um banqueiro (Ulrich) diz que se os sem-abrigo resistem, nós, os que não são sem-abrigo, (deduzo), têm também de aguentar; Outro banqueiro, (João Salgueiro), afirma que deveríamos colocar os desempregados a limpar as matas deste nosso País, apara assim ocuparem as suas mentes angustiadas com o espectro do desemprego e ficarem assim mais motivados para a procura ativa do dito emprego, (ou será trabalho?).

Outro nome ligado á Banca, diz-se muito indignado por lhe terem retirado parte substancial da sua (milionária) reforma, ou Pensão, criando com muito vigor um pretenso Movimento Nacional de Indignados vítimas deste confisco do Governo de Passos Coelho e O Gasparzinho.

Ainda o nosso Primeiro-ministro, afirma também, que nós portugueses, têm mostrado muita resiliência no confronto quase diário com as medidas que o Governo a que preside, vai decretando para todas as direções e gostos!

Eu aposto que a maioria não percebe o significado desta palavra “Resiliência”! Mas falam assim como se esta dita palavra fosse há muito treinada e repetida nas nossas discussões diárias! Fico contente que o nosso PM acredite nesta nossa sapiência escrita e falada! Sempre é um voto de confiança no conhecimento e competências linguísticas!

Mas o que eu pressinto, é que todas estas individualidades falam, falam, mas nunca passaram por apertos e as angustias que fazem de um número muito significativo de famílias portuguesas, um (mau) hábito vivencial! Assim é fácil pedir aos outros paciência e espírito de sacrifício quando eles ao mais pequeno “toque” nas suas benesses, arrebitam logo as orelhas e criam movimentos para tudo e mais alguma coisa!

Para mim, falta muito espírito solidário, destas classes que sempre se habituaram a pregar mas a não praticar! Assim é fácil apregoar e pedir sacrifícios aos outros, não é verdade?

PS: RESILIÊNCIA: “o contrário de fragilidade; capacidade de resistência de um material ao choque, a qual é medida pela energia necessária para produzir a fratura de um provete do material com dimensões determinadas, energia potencial acumulada por unidade de volume de uma substancia elástica, quando deformada elasticamente;” .Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora.

Em Psicologia, podemos definir Resiliência como, uma combinação de fatores que propiciam ao ser humano condições para enfrentar e superar problemas e adversidades.

FÁCIL, NÃO É?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:10


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D