Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A BRIGADA DO REUMÁTICO...

por jotaeme, em 27.11.06
Este título aparecia nos anos idos da pré revolução de Abril 1974 e referia-se ao apoio dado na altura por um certo número de oficiais dos 3 ramos das forças armadas, ao governo de Marcelo Caetano...
Agora nos dias de hoje é comum ver os passeios de certos militares a protestarem contra as medidas do Governo, como se de uma casta especial se tratassem!
Então os sacrifícios não devem ser partilhados por todos nós? E se na altura dos anos 70 havia uma guerra efectiva e era necessário manter umas forças armadas bem equipadas e motivadas e em grande número, será que nos dias de hoje interessará manter um espírito bélico e de grandes proporções no nosso País?
Não será a altura de reajustar as nossas forças armadas á sua verdadeira dimensão e ajustar também os privilégios que lhes foram concedidos muitas das vezes sem justificação e por comparação com muitos portugueses que sempre penaram e pagaram para a manutenção desses mesmos regimes especiais?
Eu sugiro uns passeios a pé mas a escalar umas montanhas que não faltam no nosso Portugal e assim mais reconfortados, talvez possam dormir mais descansados a pensar nas novas tácticas militares para levar de vencida o Inimigo, aí sempre á espreita!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:27


DIAS SOMBRIOS DE OUTONO...

por jotaeme, em 24.11.06

PORQUE DESISTIU AQUELA MÃE EM DESESPERO TOTAL

DAS SUAS VIDAS E ARRASTOU COM ELA OS E AOS SEUS FRUTOS DE AMORES E DESAMORES NUM TRÁGICO FIM?

QUE SENTIRÁ AQUELE QUE É OU ERA UM DOS ACTORES PRINCIPAIS NESTA PEÇA DA VIDA REAL?

 

 

Não foi a guerra de Bagdade, não foi a morte nas ruas do Beirute, a luta dos militares ou dos estudantes, as fábricas que fecharam ou a Ota que torceram o coração de muitos de nós e alimentaram as conversas de cafés. Foram estas mortes de gente anónima que entraram nas nossas vidas sem aviso e delas irão sair sem despedida. Pequenos casos exemplares de desespero, de loucura, de como a existência é uma linha ténue que a qualquer momento, de forma planeada ou irreflectida, pode partir-se. E é com esta fragilidade que nós aqui, a respirar, à espera de que as nuvens se dissipem para deixar passar a luz do sol, nos conseguimos relacionar…
Perante estas histórias de tristeza, temos de ser capazes de partilhar a dor, de tentar dar algum sentido ao que nunca fará sentido nenhum, a morte. Foi assim que, felizmente, muitos anónimos souberam anteontem reagir, associando-se à dor das famílias que perderam os seus entes queridos. Aqueles que foram ao Douro atirar flores ou que compareceram ao funeral da mãe e dos dois filhos foram o raio de sol que passou nestes tempos de chuva, que mostraram que as águas do Douro podem continuar a correr indiferentes a tanta tristeza, mas nós não.

Nestes tempos conturbados, devemos elevar o valor da Vida a níveis altos de auto estima e saber lutar com as adversidades…. Eu sei que não é fácil, mas quero continuar a acreditar que ela (a Vida) prevalece sobre todas as coisas…

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:38


SUDÃO- DARFUR - TRAGÉDIA AFRICANA!

por jotaeme, em 20.11.06

Displaced

A peace deal signed in Nigeria offered hope that a three-year conflict in Sudan's western Darfur region, in which at least 200,000 people have died, could be drawing to a close. But the violence is continuing. BBC News cameraman Glenn Middleton took this photograph during a visit to Darfur. Attacks by the pro-government Janjaweed militia have caused 2m people to flee their homes since the conflict began. Displaced people continue to arrive in camps, like this one at Gereida. -- The Sudanese army and government-backed militias are committing acts of "inexplicable terror" against civilians, includin children, in Darfur, the U.N.'s top humanitarian official said. A top Sudanese official signaled that Khartoum would accept U.N. troops as part of an African-led peacekeeping mission in Darfur, but perhaps not as many as the West has asked for under an agreement aimed at ending the continuing violence. The accusations by Jan Egeland, U.N. undersecretary-general for humanitarian affairs, came as Sudanese officials indicated they might backtrack from a deal for a mixed U.N. and African peacekeeping force. Egeland said spiraling violence in the conflict-wracked region of western...

Meanwhile this tragedy is developing, others priorities for western liders like middle East, and Iraq War, let the Sudanese people unsafely, and with more suffering in your tragic life… until when?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:01


DEIXEM JOGAR O MANTORRAS!!!

por jotaeme, em 14.11.06

Palavra de honra que se há coisas que me aborrecem solenemente, são os queixinhas... e neste caso o afilhado do "Orelhas",vem completamente a destempo falar e acusar incertos, de que lhe atiraram moedas e o chamaram de preto, aquando do último clássico no estádio do "Dragão" entre o PORTO eo BENFICA.

Tudo estaria certo se o Mantorras fizesse menção desse lamentável comportamento de alguns adeptos que não deveriam ali estar, pois um jogo de futebol, tem sempre de ser jogado com fair play e assistido pelo público com pleno respeito por todos os participantes, e aí sim o assunto seria analisado com mais rigor e se calhar sancionado disciplinarmente pelo C.D. da Liga!

Agora passado todo este tempo e com falta de aassunto, lá estão os jornais do costume a ampliar este assunto e a fomentar mais uma polémica no futebol português! O Mantorras perdeu uma boa oportunidade de ficar calado, e tenho para mim, que o angolano quer é jogar e assim fala-se dele e é possivel que o treinador lhe faça a vontade!

Sem perder de vista este comportamento nos estádios de futebol desses adeptos que também precisam de um aperto, deixemo-nos destas picardias e façam o favor de jogar á bola, só e proporcionarem bons espectáculos aos adeptos pagantes!

Agora tem justificação a célebre frase: "Deixem jogar o Mantorras!"

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:08


O BICHO DA MADEIRA - Parte1

por jotaeme, em 02.11.06
O BICHO DA MADEIRA - parte 1 Eu já aqui escrevi algo sobre esta praga! É um bicho com um comportamento muito sui generis, que vive ou sobrevive, comendo, lentamente a madeira, deixando ao longo dos tempos uns buracos na dita madeira, seja ela móveis da casa, ou do exterior nos bancos dos jardins... O remédio para combater este bicho, eram e são umas infusões apropriadas que se pelo menos não o aniquilavam, faziam retardar todo o processo de degradação a que estavam sujeitos os móveis na casa dos meus avós... Hoje em dia, os remédios para combater o dito bicho, são mais subtis, ou seja, não o matam (pelo que ele vai esburacando tudo o que contenha madeira), mas o vão privando lentamente do seu alimento até ficar magrinho e assim definhar a pouco e pouco, até talvez.... morrer! (o que é que estavam a pensar seus malandros? Assim sendo não auguro grande futuro para estes bichos e se calhar até é bem feito!!! O próximo episódio virá amanhã, após visionamento em directo na tv, da maneira como o bicho pode garantir a sua sobrevivência!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:14


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2005
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2004
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D